30/06/2022

Ministro promete acompanhar de perto caso da ACP do Carvão, após audiência com prefeitos da Amrec

O ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, prometeu deslocar um representante para articular a questão da Ação Civil Pública (ACP) do Carvão e que irá monitorar de 15 em 15 dias a situação com os prefeitos da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (AMREC).


“Vamos deslocar uma pessoa especificamente para tratar desse problema, e uma vez a cada 15 dias, vamos estar monitorando de perto isso. O problema muito me comoveu, e faremos o possível, para que o mais rápido espaço de tempo possível, o problema esteja solucionado”, declarou o ministro, que prometeu vir ao sul de Santa Catarina, assim que a agenda permitir.


A resolução foi definida em audiência no Ministério de Minas e Energia na noite desta quarta-feira, dia 29, em Brasília para buscar solução para a ACP do Carvão. Além do ministro, participaram do encontro o presidente da Amrec e prefeito de Forquilhinha, José Cláudio Gonçalves, o Neguinho e demais chefes do executivo. Bem como o presidente da Associação Brasileira de Carvão Mineral (ABCM), Fernando Luiz Zancan, que representou as carboníferas, e os promotores do Ministério da Público Federal, Luiz Augusto dos Santos Limas e Darlan Dias.

 

Neguinho, classificou a reunião como histórica para a região sul. “Nosso pedido de flexibilizar será atendido pelo ministro. O Ministério Público também se sensibiliza com as nossas reivindicações. Não serão liberadas todas as áreas, mas gradativamente elas vão ser autorizadas”, explicou Neguinho, logo ao fim da reunião.


As liberações, segundo Neguinho, devem acontecer de forma gradual, priorizando os investimentos públicos. Mas que devem chegar às empresas e loteamento. “Ele (o ministro) vai nomear um representante do Ministério para fazer essa ligação com o Ministério Público Federal e com os prefeitos. Além disso, o Ministro se comprometeu a cada 15 dias fazer uma reunião online com os prefeitos para ver como está o andamento da situação, para ser resolvido”, disse o prefeito.

 

Na avaliação do deputado federal e presidente da Comissão de Minas e Energia da Câmara Federal, Fábio Schiochet, é uma pauta que destrava. “Estou satisfeito. Na fala do Ministro, ele demonstrou agilidade, vai formar um grupo de trabalho para resolver o problema, para que a gente consiga dar o pontapé inicial. Todos os prefeitos levam em sua bagagem boas notícias para a região”, comentou o deputado que também acompanhou a reunião.


Estiveram presentes na audiência além de Neguinho, os prefeitos de Cocal do Sul, Fernando de Faveri; de Treviso, Valério Moretti; de Siderópolis, Franqui Salvaro, de Içara, Dalvânia Cardoso; de Urussanga, Luís Gustavo Cancellier; de Nova Veneza, Rogério Frigo; de Criciúma, a prefeita interina Roseli De Lucca, de Lauro Muller, a vice-prefeita Soraya Librelato, e a procuradora de procuradoria jurídica, Ana Cristina Corrêa de Melo.


Fonte: Litoral Sul

LEIA TAMBÉM

17/05/2007

Ferrovias trilham novos caminhos

. . .

04/01/2013

Milhares de crianças acompanharam a chegada do Papai Noel Ferroviário, no Sul de Santa Catarina

. . .

19/03/2013

Santa Catarina começa a construir plano da nova malha ferroviária

. . .