13/07/2021

Modal ferroviário pode mais que dobrar de participação na logística brasileira em 15 anos

A expectativa do ministro da Infraestrutura é que em 2035 o país tenha alcançado esse grande crescimento do modal ferroviário. Hoje com cerca de 15%, o objetivo é que nos próximos anos chegue em cerca de 40% da logística de transporte por ferrovias.


Além disso, somente no primeiro semestre deste ano, foram entregues 51 obras relacionadas ao transporte, como restauração e finalização de rodovias e construção de instalações portuárias.


O Governo Federal quer chegar a cerca de R$ 250 bilhões em investimentos por meio de concessões na área de transporte até o fim do ano que vem. Foi o que afirmou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.


"A gente tem caminhado muito na direção de atrair o investimento privado, é fundamental num cenário de restrição fiscal para a gente atingir o nosso objetivo, que é diminuir o gap (vão) de infraestrutura. Os leilões de abril foram um sucesso. Nós leiloamos 22 aeroportos, uma ferrovia, cinco terminais portuários. Fechamos o mês com uma rodovia e, só no mês de abril, a gente contratou R$ 30 bilhões em novos investimentos. No total, desde o início do Governo do Presidente Bolsonaro, de 2019 para cá, foram 70 ativos leiloados. São mais de R$ 80 bilhões em investimentos contratados. Isso vai gerar, no final das contas, uma quantidade muito grande de empregos diretos, indiretos e empregos pelo efeito renda", disse o ministro.


Segundo Tarcísio, o modelo brasileiro de concessões se mostrou atrativo para os investidores, que elogiaram muito a forma como foi divido o risco. Ele também citou que os modelos brasileiros estão entre os mais sofisticados do mundo e é por isso que o país conseguiu atrair investidores e a superou as expectativas em cada leilão realizado.


Os próximos passos do programa serão concessões importantes. O ministro disse que o melhor ainda está por vir, porque os principais ativos serão leiloados a partir deste segundo semestre.


"As concessões e investimentos esperados vão trazer novos empregos. A gente está falando de contratar até o final do ano que vem, R$ 250 bilhões em investimentos na área de transportes. Então, é o produtor que vai ter mais dinheiro para investir e aumentar o seu negócio. E aqueles brasileiros que vão estar engatados na construção. Então, isso vai mexer fortemente com a indústria da construção civil, que é uma indústria que gera emprego no curto prazo. Então, a gente está falando da criação de mais um milhão de novos postos de trabalho. E se a gente considerar o efeito renda, os empregos indiretos, vai muito mais do que isso", garante Tarcísio.


Tarcísio fala ainda sobre o que podemos esperar da área de infraestrutura do país. "O que a gente pode esperar é uma infraestrutura mais moderna, mais eficiente, com uma matriz de transporte mais equilibrada. Observe o que está sendo feito nas ferrovias. A gente deve ter nos próximos 15 anos a participação no modo ferroviário chegando perto dos 40%, ou seja, no nível de país desenvolvido. Tanto que se pedia ferrovia, e realmente a gente está conseguindo dar impulso a esse setor. Crescimento da navegação de cabotagem, da navegação interior, a melhoria da condição das rodovias, por meio das concessões, e uma forte presença do capital privado na infraestrutura. Então, o que a gente pode prever é uma estrutura transformada, muito mais eficiente e um produtor brasileiro muito mais competitivo", conclui o ministro.


Fonte:  Governo do Brasil

LEIA TAMBÉM

20/01/2009

Computador de bordo de locomotiva: tecnologia oferece mais segurança no transporte ferroviário

. . .

28/10/2014

Modal ferroviário quer ir a 55 mil postos de trabalho até 2016

. . .

09/11/2012

Debate definirá um padrão de sinalização e comunicação ferroviária

. . .