25/06/2021

FTC aposta em ações de infotenimento para conscientização

A Ferrovia Tereza Cristina (FTC) tem identificado um aumento expressivo de pessoas na linha férrea, seja para a prática de esportes, caminho alternativo para chegar em casa mais cedo, ensaios fotográficos, entre outras invasões na faixa de segurança ferroviária. Para alertar sobre o risco dessas atitudes, a empresa tem realizado uma série de ações de infotenimento, ou seja, que misturam informação e entretenimento.

O principal objetivo da Concessionária é que as pessoas compreendam que o trem pode transitar a qualquer horário do dia ou da noite, para atender as necessidades de transporte para a geração de energia elétrica ou outras cargas para o Porto de Imbituba, contribuindo para o desenvolvimento da região, além dos trens turísticos operados pela Sociedade de Amigos da Locomotiva à Vapor (SALV).

“Muitas pessoas pensam que caso encontrem um trem, que ele vai parar. Mas não é bem assim. Quando o trem está em movimento, ele não consegue parar, ele precisa de um quilômetro para isso. E a atitude dessas pessoas está colocando a vida delas mesmas em risco, além da vida dos trabalhadores da ferrovia”, explica o engenheiro de segurança da FTC, André Guaresi.

Com a participação especial dos humoristas Mané Darci e Dona Maricotinha, a FTC promoveu visitas nas comunidades, para conscientizar sobre a importância da presença dos trilhos e de toda a operação ferroviária para a região, incentivando práticas seguras ao transpor a linha férrea.

Para dar continuidade a este trabalho, a FTC iniciou uma série digital, demonstrando atitudes inadequadas. O primeiro vídeo publicado nas redes sociais da Concessionária, mostra um ciclista pedalando na linha férrea, e o Mané Darci aparece entre uma nuvem de fumaça, alertando sobre o risco de estar naquele local, já que o trilho é para o trem.

Novos episódios serão publicados nos próximos dias, e devem abordar assuntos como o descarte inadequado de lixo, que prejudica não só a operação ferroviária, mas a qualidade de vida das comunidades; e a necessidade do apito do veículo ferroviário; além da visão do maquinista e do manobrador durante uma ocorrência.

A FTC orienta que ao atravessar a linha férrea é preciso respeitar a sinalização, e se for preciso estacionar nas proximidades da ferrovia ou no caso de outras necessidades e até emergências, é preciso respeitar a faixa de segurança, que é de 6,5 metros para cada lado dos trilhos.

Para acompanhar a campanha digital da empresa, acesse o Facebook  ou o Instagram @ferroviaterezacristina. Em caso de dúvida ou para mais informações, entre em contato pelo telefone 48 3621-7700.

Museu Ferroviário de Tubarão
Para quem aprecia a história ferroviária, e que deseja conhecer um pouco mais ou fazer fotos neste contexto, a FTC orienta o agendamento com o Museu Ferroviário de Tubarão, localizado na avenida Pedro Zapelini, 2200, em Oficinas. Ele é composto por máquinas a vapor, vagões, documentos e outros objetos utilizados ao longo do tempo. O museu foi criado em 1997 por iniciativa do médico Dr. José Warmuth Teixeira, trabalhadores da antiga Rede Ferroviária Federal e da FTC. Informações pelo telefone 48 3632-3450.

LEIA TAMBÉM

29/01/2021

Uso de ferrovias para transporte de grãos ganha espaço no Brasil, diz estudo

. . .

25/05/2006

Reunião apresenta o Sigefer - Web

. . .

29/04/2020

Ser ferroviário é estar na linha de frente para manter o país nos trilhos

. . .