14/03/2008

Integração férrea vai sair do papel

Previsão do DNIT é de que dentro de 25 dias seja publicado o edital para projetar a nova linha

Os empresários catarinenses ouviram pelo menos duas boas notícias durante a reunião da Câmara para Assuntos de Transporte e Logística da Federação das Indústrias de SC (Fiesc), realizada no dia 7 de março. Em 25 dias, sai o edital para licitação do projeto da ferrovia litorânea, que liga os portos catarinenses. E a segunda fase da obra da Via Expressa de Itajaí foi liberada, com o entrave das desapropriações solucionado.

As duas medidas representam um salto significativo para a logística de transporte do Estado, cujo complexo portuário é o segundo com a maior taxa de crescimento das Américas, segundo anúncio feito durante a reunião pelo coordenador geral de Logística da Secretaria de Portos da Presidência da República, João Aparício dos Reis Costa.

O superintendente do Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes (Dnit/SC), João José dos Santos, garantiu que o projeto da ferrovia litorânea, uma antiga reivindicação do empresariado catarinense, foi finalmente liberado para licitação.

- O edital sai em 25 dias. O projeto tem um custo de R$ 18 milhões, além de R$ 3 milhões de estudo de viabilidade ambiental. A obra está orçada em R$ 954 milhões, e sua execução deve demorar de um ano a um ano e meio. A previsão para entrada em operações é 2011 - explicou.

Pelo projeto, a Ferrovia Tereza Cristina será incorporada aos Sistema Ferroviário Nacional, com a construção do trecho entre Imbituba e Araquari, numa extensão de 235,6 quilômetros. Os portos de Imbituba, Itajaí e São Francisco do Sul serão interligados, além de garantir acesso ferroviário ao de maior movimentação do Estado. A previsão é apenas de transporte de cargas.



Entraves burocráticos já foram resolvidos



João Aparício dos Reis Costa fez um balanço das ações recém-criada secretaria e antecipou que o entrave para as desapropriações para construção da Via Expressa Portuária de Itajaí foram resolvidos na semana passada. Segundo ele, o governo federal liberou o município da contrapartida para as indenizações, a União assumiu o pagamento, e liberou o andamento das obras. Costa disse que o projeto executivo para a segunda fase deve ficar pronto ainda este ano.

- A secretaria propõe a prorrogação do Reporto, regime tributário diferenciado que garantiu ganhos de 56% para instalação do Porto de Navegantes, uma economia de US$ 23 milhões - disse.

A senadora Ideli Salvatti, que acompanhou as apresentações de Santos e Costa, pediu aos empresários catarinenses que se empenhem junto aos parlamentares para a aprovação do Orçamento Geral da União 2008, ainda trancado na pauta do Congresso.

- Algumas obras do PAC já estão paralisadas, por sorte nenhuma em Santa Catarina, mas estamos em ano eleitoral, um ano de nove meses para questões orçamentárias - lembrou a senadora.

Fonte: Diário Catarinense

LEIA TAMBÉM

17/12/2009

Papai Noel chega pelos trilhos ao Sul do Estado de SC

. . .

02/06/2015

Utilização do modal ferroviário bate recorde no Porto de Imbituba

. . .

05/02/2020

Iniciam as obras da Pera Ferroviária no Porto de Imbituba

. . .